Endereço:

Rua Mourato Coelho, 798 cj.111 Pinheiros - São Paulo - SP

Osteoporose: o que é?

Doença metabólica e sistêmica, a osteoporose acomete todos os ossos do corpo e se caracteriza pela rarefação dos mesmos, normalmente causada por degeneração ou envelhecimento ósseo.

Essa degeneração acontece porque os ossos, estruturas vivas que precisam ser mantidas saudáveis e se remodelando constantemente, ficam mais frágeis e quebradiços ao longo dos anos, apresentando deficiência de cálcio. Se essa remodelação não ocorre, os ossos ficam cada vez mais fracos e finos, aumentando a chance de fratura.

Mais comum dos 60 anos em diante, a osteoporose é também chamada de “doença da velhice”. Mulheres são as principais acometidas pela patologia, pois possuem ossos mais finos e leves que os homens, tendo essa porcentagem aumentada por conta da menopausa, época em que a deficiência de cálcio é maior.

Por não causar sintomas aparentes, a doença é conhecida como “silenciosa”, e só pode ser descoberta (se o exame regular não for feito) quando o paciente sofre algum trauma. Por isso, é extremamente indicado que a densitometria óssea seja realizada anualmente, em especial para os maiores de 65 anos.

Na Homefisio, fazemos um trabalho voltado ao fortalecimento muscular do membro afetado, visando o reforço da estrutura muscular peri-óssea e a minimização do estresse físico para o paciente, sempre respeitando a limitação articular de cada um.

As 05 maiores fraturas (lesões) de atletas brasileiros nos últimos anos.

Todos os atletas podem acabar sofrendo alguma lesão, devido aos esforços gerados pelo corpo ou por algum impacto. Tanto para amadores como para profissionais, uma lesão acaba com o sonho e vontade do atleta e dificulta demais a vida.

Dependendo da lesão, o atleta passa meses ou até anos tratando na fisioterapia. Você, provavelmente, conhece os casos de alguns ídolos do esporte brasileiro que sofreram lesões graves. Listamos as 05 maiores fraturas (lesões) de atletas brasileiros dos últimos anos:

Ronaldo: Quando defendia a Inter de Milão, deixou fãs, torcedores e até rivais perplexos ao desmoronar no gramado do estádio Olímpico de Roma com o tendão patelar do joelho direito completamente rompido. Ele se recuperou de duas lesões (ambas nos joelhos, a segunda jogando pelo Milan) fez cirurgias e tratamentos prolongados com fisioterapia. Assim recebeu o apelido de Fenômeno, já que muitos duvidavam do retorno.

Neymar: No importante jogo contra a Colômbia, o craque sofreu uma lesão na terceira vértebra lombar da coluna e ficou fora da Copa do Mundo. Após seis semanas e meia de tratamento com analgésico, cinta protetora e fisioterapia, o jogador voltou a treinar e, em menos de um ano depois, ele comemorou o principal título de clubes de futebol da Europa.

Anderson Silva: O ídolo do MMA sofreu uma fratura chocante na perna esquerda ao aplicar um chute em Chris Weidman no segundo round. A canela do lutador quebrou como um lápis, sendo que a pancada atingiu a tíbia e fíbula. Spider, como é conhecido, passou por sessões de três horas diárias de fisioterapia e voltou a competir depois de 14 meses, onde venceu sua luta no octógono.

Laís Souza: A atleta de esqui aéreo se chocou contra uma árvore em Salt Lake City, nos EUA, e teve séria lesão na terceira vértebra (C3) da coluna cervical, que comprometeu as suas funções motora, sensitiva e autonômica. A atleta perdeu movimentos, sensibilidade e controle de todos os órgãos abaixo do pescoço. Ela segue em recuperação, com injeções de células-tronco e fisioterapia diária, e já reverteu o caso de lesão completa para incompleta, conseguindo ter sensibilidade.

Felipe Massa: O piloto de Fórmula 1, foi atingido em seu capacete por uma mola de cerca de 12 centímetros, feita de metal, que se soltou do carro em movimento a sua frente. A peça quicou na pista e atingiu Massa quando ele acelerava a aproximadamente 280km/h. Além do corte na testa, com cerca de oito centímetros, o atleta sofreu uma lesão na parte esquerda do crânio e uma concussão cerebral. Ficou 9 dias internado na Hungria, onde fora acidentado, se recuperou e no ano seguinte voltou a competir normalmente.

 Se até os atletas da mais alta performance, com os equipamentos e treinamentos de última geração, podem sofrer lesões, de leves a graves, os amadores não fogem dessa realidade. Se você está passando por algum tipo de lesão, entre em contato com a Homefisio pelo e-mail contato@homefisio.com.br ou telefone (11) 3034-3354.
 
A Homefisio (Fisioterapia e Reabilitação Terapêutica) e sua equipe de fisioterapeutas especializados atuam há mais de 20 anos no atendimento domiciliar e hospitalar.

 

 

Recuperação pós cirurgia abdominal

O sucesso da cirurgia abdominal não depende apenas de um bom cirurgião, mas também do acompanhamento e dos cuidados pré e pós-operatórios. Dentre os cuidados pós-operatórios, a fisioterapia é um dos mais importantes, pois acelera o processo de recuperação, previne complicações comuns e ainda traz uma melhora na textura da pele e redução do edema.

De acordo com uma avaliação cuidadosa do estado da pessoa, da cicatriz, do tipo de cirurgia que foi feita e de outros fatores, o fisioterapeuta escolhe os melhores procedimentos a serem adotados para auxiliar na recuperação do paciente.

Dentre os procedimentos fisioterapêuticos que podem ser adotados nesses casos, estão:

Ultrassom: muito utilizado na fase inflamatória com a finalidade de reabsorver os hematomas, diminuindo as chances de formações fibróticas e melhorando a nutrição celular.

Drenagem linfática: pode ser iniciada 48 horas após a cirurgia. A drenagem evita a retenção de líquidos e ativa a circulação, ajudando a eliminar as dores e diminuindo o edema pós-cirúrgico.

Exercícios respiratórios e trabalho de reeducação diafragmática: através de exercícios respiratórios são trabalhados tanto o diafragma, como a ventilação das bases pulmonares, que ficam comprometidas no pós cirúrgico, devido a dor e a insegurança do paciente, frente a limitação causada pela sutura. Esse trabalho pode ser complementado com Incentivadores Respiratórios (Respiron) ou aparelhos de Pressão Positiva (CPAP), em casos mais graves.

Se você pensa em fazer uma cirurgia abdominal, deve se programar também para ter um acompanhamento fisioterapêutico. Se tiver alguma dúvida, pode entrar em contato conosco aqui.

Dicas para cuidar de uma pessoa acamada

Além dos cuidados básicos de higiene, que envolvem banhos, escovação dos dentes, corte das unhas e trocas de roupa, para evitar inflamações, infecções e outros tipos de contaminação, a preocupação prioritária na hora de cuidar de uma pessoa acamada, é garantir o seu conforto.

Confira algumas dicas:

Todos os dias averigue se há o surgimento de qualquer tipo de manchas, bolhas ou feridas na pele do paciente. Se aparecer, já inicie o tratamento adequado para que não se agrave;

Vire a pessoa, para que ela mude de posição, de preferência a cada 2 horas. Como ela tem pouca ou nenhuma mobilidade, ficar na mesma posição pode desencadear o surgimento de escaras na pele;

Se a roupa de cama estiver molhada por algum motivo, troque-a imediatamente, pois isso pode provocar muito incômodo, além de promover o acúmulo de bactérias e fungos;

Use travesseiros como apoio para as costas e as pernas do paciente e deixe as roupas de cama bem esticadas, para que suas dobras não incomodem a pessoa;

Procure deixar a pessoa levantada na cama em alguns momentos durante o dia, promovendo o convívio social. Deixe que ela assista televisão, ouça músicas e leia livros e notícias (positivas) para ela.

IMPORTANTE: As trocas do paciente da cama para poltronas ou cadeiras, devem ter orientação de um Enfermeiro ou Fisioterapeuta, para que seja seguro e sem causar lesão tanto no paciente, como no esforço do cuidador.

A Homefisio conta com profissionais altamente capacitados para atender pacientes com qualquer necessidade fisioterápica, inclusive no sistema homecare. Se você tiver alguma dúvida, entre em contato conosco por aqui.

Fêmur quebrado

As fraturas da região do fêmur pode abranger duas localidades: o colo do fêmur ou a região intertrocantérica. O fêmur é o mais comprido e pesado osso do corpo. Essa parte dos ossos representam 14% do peso do corpo e realizam um significativo papel na sustentação do esqueleto.

Pessoas mais idosas necessitam de atenção redobrada, pois depois dos 65 anos é comum que os ossos estejam mais frágeis e por isso quedas podem levar a fraturas mais graves. Muitas vezes os idosos caem em suas residências mas acabam por não comunicar isso aos filhos ou cuidadores.
Fique de olho em alguns dos sinais da fratura:

-Deformação da perna
-Inépcia para movimentar a perna afetada
-Dormência
-Dor em toda região
-Calombo

Tratamento para a fratura do fêmur

O tratamento geralmente é cirúrgico. Permitindo que o paciente possa se exercitar; evitando atrofia muscular e problemas de ordem respiratória. O mais importante é você consultar o seu médico, cada pessoa tem um tratamento personalizado.

A Homefisio conta com profissionais altamente capacitados para atender pacientes com qualquer necessidade fisioterápica, inclusive no sistema homecare. Se você tiver alguma dúvida, entre em contato conosco por aqui.

Cuidados com a tendinite

A tendinite é o nome dado a lesão e/ou inflamação sofrida pelos tendões. Os tendões são fibras resistentes que ficam entre os nossos músculos e ossos, eles estão presentes em todas as partes do nosso corpo e tendem a inflamar causando dores crônicas ou agudas. Geralmente a tendinite ocorre devido ao demasiado uso dos tendões, chamada de causa mecânica, ou devido a algumas toxinas que estão no organismo e má alimentação, onde é chamada de causa química.

O diagnóstico da tendinite geralmente é feito através de tomografia ou ressonância magnética. Se a tendinite demorar a ser diagnosticada, o tratamento não for feito e o indivíduo continuar usar a articulação em excesso há possibilidades do tendão se romper, onde pode ser preciso a realização de um cirurgia.

O tratamento da tendinite vai depender muito da gravidade da lesão, porém em todos os casos a primeira atitude a ser tomada é a interrupção ou a diminuição dos movimentos na região onde ela está localizada. A fisioterapia também é muito importante no período de recuperação, ela pode ajudar no alongamento e fortalecimento do músculo. Após, 20 sessões em média os resultados devem começar a dar resultados. Além disso, ter uma alimentação correta também pode ajudar no tratamento, incluindo na dieta alimentos que possuem nutrientes anti-inflamatórios e antioxidantes.

A Homefisio conta com profissionais altamente capacitados para atender pacientes com qualquer necessidade fisioterápica, inclusive no sistema home care. Se você tiver alguma dúvida, entre em contato conosco por aqui.

Tai Chi Chuan para terceira idade

O Tai Chi Chuan, também chamado de “meditação em movimento”, é uma arte marcial chinesa, que abrange a respiração, concentração e os preceitos da Medicina Tradicional Chinesa.

Os movimentos do Tai Chi Chuan são sempre suaves, circulares e fluidos, voltados para o relaxamento e por conta disso pode é recomendado para pessoas de qualquer idade e principalmente para os idosos.

A prática do Tai Chi Chuan trás diversas vantagens para a terceira idade, ajuda a melhorar a flexibilidade das articulações, aumentam a firmeza nos braços e pernas, auxilia na questão do equilíbrio reduzindo o número de quedas.

Além dos benefícios físicos,o Tai Chi Chuan também auxilia o bem-estar psicológico, trazendo melhorias como facilidade de lidar com emoções, serenidade, paciência entre outros.

Por unir exercícios da corpo com os da mente e conseguir excelentes resultados para quem o pratica, hoje em dia o Tai Chi Chuan é considerado tão importante que ganhou até um núcleo de pesquisa em Harvard para estudarem seus benefícios.

Como o osso fraturado se regenera

Embora o osso seja um dos poucos órgãos do corpo humano com a capacidade de se regenerar sozinho, na maioria das vezes ele necessita de ajuda médica para que ele não entorte. Por isso que o gesso ou faixa são colocados, para não nos mexermos e assim o osso se cole no lugar certo.

Quando o osso se fratura, acontece um vazamento de sangue tanto no osso em si, quanto no tecido em volta, formando um hematoma. Junto com esse sangue, vêm algumas substâncias inflamatórias que fazem com as células iniciam os trabalhos para a regeneração do osso. Há então um aumento no suprimento de sangue que faz com que as células mortas da área sejam absorvidas e assim o organismo produz um tecido cartilaginoso na fratura para cicatrizá-la.

Esse tecido cartilaginoso endurece, embora não com tanta estabilidade quanto quando o osso está bem, após o preenchimento por cálcio e fosfato. Pouco a pouco o organismo começa a remodelar e fortalecer o osso imaturo, e todo tipo de saliencia na região desaparece, deixando o osso novinho em folha, praticamente da mesma forma que estava antes.

A Homefisio conta com profissionais altamente capacitados para atender pacientes com qualquer necessidade fisioterápica, inclusive no sistema home care. Se você tiver alguma dúvida, entre em contato conosco por aqui.

Bursite

A bursite, ou inflamação da bursa, ocorre quando a bolsa sinovial se inflama. Essa bolsa é uma estrutura repleta de líquido que se encontra entre um tendão e um osso ou entre um tendão e a pele com uma função amortecedora e tendo um papel importante no deslizamento muscular.

A doença pode se apresentar de forma crônica ou aguda e normalmente em lugares com articulações que exercem movimentos repetitivos, como ombros, quadril, joelhos, cotovelos, entre outros, causando danos às bursas.

A bursite é comum em casos de esportistas que precisam lançar bolas ou algum outro objeto, tão bem como levantar algo acima da cabeça repetidas vezes, ou em pessoas que se apoiam muito sobre as articulações como os ombros ou se ajoelham por longos períodos de tempo.

Alguns dos fatores de risco do desenvolvimento de bursite conhecidos são:
-Envelhecimento

A bursite se torna mais comum de acordo com a idade, sendo que as pessoas mais idosas têm uma predisposição maior a traumas de diversos tipos, além de terem corpos mais frágeis.

-Ocupação

Pessoas que trabalham ou têm hobbies que necessitam de movimentos repetitivos ou exerçam pressão sobre as articulações, como jardinagem ou tocar certos instrumentos musicais também podem ser mais facilmente afetadas pela bursite.

-Condições médicas

Outras condições médicas como artrite, gota ou diabetes também podem ter uma influência no surgimento da bursite.

Ao sentir dores nas articulações por mais de uma semana, com inchaço, vermelhidão e possivelmente febre, procure um médico. O tratamento é simples e envolve bastante repouso, sendo somente um pouco mais complicado em casos muito graves, com anti-inflamatórios, fisioterapia, punções e até uma possível cirurgia se não houverem melhoras significativas no quadro.